segunda-feira, 2 de novembro de 2015

02/11/2015

Vejo vindo uma garota bem branca de cabelos bem pretos. Ela vem tão dentro de si, tão repleta de si que esquece que está na rua e vem andando com o dedo no nariz, cutucando, tirando a meleca. Acho lindo a menina bem branca de cabelos bem pretos tirando meleca do nariz. Quando nos aproximamos, e somente porque já sei, finjo, dentro de meu óculo escuro, não ver. Ela nota que alguém vem no mesmo caminho que o seu e tira rapidamente o dedo do nariz, envergonhada, saindo de si. Olha pra mim, que não estou olhando pra ela, e envergonhada de andar na rua tirando meleca do nariz, baixa a cabeça. Sinto vontade de parar em frente a ela e dizer que não precisa se envergonhar por nada. Que aquilo, como diversas outras coisas na vida, é algo natural, que é isso uma das coisas que nos torna humanos, e que não temos que nos envergonhar disso. Que vivemos em um mundo que quer nos criar em uma moldura, em um verniz em que as pessoas querem que tenhamos vergonha de ser quem somos, e que nos envergonhemos de coisas simples e normais, como tirar meleca do nariz, suar, cagar, mijar, transar, desejar algo ou alguém. Que vivemos em um mundo em que as pessoas querem que nos sintamos envergonhados por ser quem somos. Mas que este mundo, é que está errado, e não nós que nascemos e pegamos a contramão. Senti vontade de dizer a ela, que vez ou outra, entra alguém novo na minha vida. Que eu deixo que poucas pessoas entrem, porque sim, eu sou estranho. E vez ou outra eu me pego com alguma pessoa dizendo que queria fazer tal coisa, ou quis me dizer tal coisa, mas que sentiu medo de eu não gostar, de eu achar aquilo “feio”. Mas o que essa pessoa ainda não descobriu é que perto de mim ela pode ser quem ela é, o tempo inteiro, falar o que quer falar, fazer o que quer fazer. Eu só dou aos outros o que quero pra mim. Liberdade. Senti vontade de parar a menina e falar isso pra ela, mas não o fiz, porque eu sabia. Senti vontade de falar pra menina bem branca com cabelos bem pretos que ver ela tirando meleca do nariz foi a coisa mais bonita que vi hoje.


Nenhum comentário: