quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

NOITE.

A lua flutua entre as quatro paredes de meu quarto
Os prédios crescem muros aqui dentro,
Crescem alto e eu penso grande.

Jesus Cristo pregado na parede me olha,
Em monólogo, digo o que penso.
Sobre todas as perguntas não respondidas,
Ele me observa em silêncio.

De minha janela vejo que o mar está fechado para reformas,
Me pergunto que grandes mudanças farão
(faremos)
neste mundo.
Carros passam rápido
E o verde desliza pela paisagem.

Sinto que outro mundo está mais próximo de mim agora,
Revoluções dissolvidas em minhas mãos
Como pedras de gelo em meu copo.

Meus amigos estão cada vez mais distantes e sérios
Todos com empregos fixos nos bolsos.
Eu continuo sentado
E faço versos,

Se isso for poesia.

22/08/2005

Nenhum comentário: