quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

EU SÓ ESTOU TENTANDO PARTIR SEU CORAÇÃO.


Uma das histórias mais interessantes envolvendo o Wilco é a do disco "Yankee Hotel Foxtrot". Eu sempre me pego pensando nela quando escuto o disco. E eu sempre escuto esse disco. É, eu gosto muito do Wilco, quem passa por aqui já notou isso, e quem convive comigo também. Mantenho sempre uns 3 discos da banda no meu celular e a discografia completa que vivo revisitando no meu notebook. De uns 5 anos pra cá é a banda que mais escuto, e uma das que mais me tocam hoje em dia.

A história do Yankee Hotel ficou conhecida. O Wilco tinha lançado 3 bons discos, era lá para o ano de 2001, 2002 e eles estavam em uma posição em que algumas pessoas diziam que se lançassem um disco de hits, seriam a banda do momento. Qualquer banda entraria nessa, que tal se transformar na queridinha da America? Claro. Eles entram em estúdio, passam meses gravando um disco, diversas versões para algumas músicas, o primeiro disco em que eles fariam tudo, produção, mixagem etc. Meses nisso, eles terminam, mandam pra gravadora que passou meses pagando a banda pelo projeto, e então só silencio. Semanas passam e nenhuma palavra da gravadora sobre. E então o Wilco é despedido da gravadora 24 horas depois que fizeram a primeira audição de Yankee. A história era que a gravadora não achou o disco comercial. E realmente não é. Yankee Hotel Foxtrot é um disco que leva um tempo para ser digerido, até mesmo pelos fãs. Belas melodias, letras incríveis, um disco que fala entre outras coisas em suas microfonias de problemas de comunicação. Ele fala isso quando uma guitarra entra na bateria, quando um vocal de uma música tal entra em outra música. E é preciso de tempo pra digerir isso. Um tempo que parece nos ser cada vez mais escasso. A gravadora devolve então o disco para a banda, eles teriam que refazer. Qualquer banda na posição em que estavam faria. Wilco resolveu não fazer. O disco é esse, tá pronto. Caíram na estrada, sem gravadora, e as músicas misteriosamente foram caindo nos ouvidos do público, que iam aplaudindo. A grande ironia é que meses depois Yankee Hotel Foxtrot foi aceito e lançado por um selo que era ligado à gravadora que despediu a banda anteriormente. A crítica e os fãs adoraram. Um grande disco feito e lançado em um momento único na história da banda.

O Wilco nunca explodiu, nunca ganhou aquela notoriedade prometida. Seus shows lotam com um público fiel a banda, mas é fácil hoje em dia, mais de 10 anos depois dessa história ter acontecido e muitos outros discos terem vindo, muita gente falar; “Wilco? Não conheço”. Principalmente nessa terra onde vivo. Não tem problema. Quem sabe, sabe. Em vez de explodir para um público monstro, se tornar numa banda queridinha da América, o Wilco ganhou todos os pontos com a crítica e público mostrando ser uma das bandas com mais personalidade existentes.

Essa história todo foi acompanhada por Sam Jones, que filmou o processo de gravação de Yankee Hotel Foxtrot e lançou no baita documentário I Am Tring To Break Your Heart. Um documentário que sofreu algumas críticas na época em que foi lançado, mas que ao meu singelo entendimento, me chega como um bom filme, que cumpre muito bem o que promete; mostrar uma banda que veio com os anos se desenrolando como uma grande banda, distante de pequenas polemicas com drogas e coisas do tipo, mas focada naquilo que dever ser, a música. Uma banda que dá importância naquilo que deve dar, numa boa produção musical, na música criada. E essa é uma das razões para essa banda e seus músicos me tocarem tanto. E sempre.

Recentemente lançaram “Alpha Mike Foxtrot Rare Tracks” que são 5 discos apanhando versões ao vivo, em estúdio, lados b´s dês de 1994 até 2014. Também lançaram a coletânea “What´s Your 20? Essencial Tracks” disco duplo com mais de 30 músicas da banda. E por falar em coletânea, aqui uma playlist que fiz só com músicas do Wilco. Abaixo, o filme de Sam Jones.

Nenhum comentário: