terça-feira, 1 de março de 2011

UM PULO NO ESCURO.

Xu é um famoso ator chinês que um dia já foi galã, e hoje irritado com a bajulação do sistema toma um lugar em começo de uma decadência física e profissional. Depois de lançar seu filme no Brasil é incriminado pelo suicídio de um antigo amigo, e só vê como fuga se entregar ao desconhecido do dia a dia, tentando fugir quem sabe de si mesmo.
Hermes é um escultor disciplinado que se deixou endurecer pela vida e pela dedicação de sua própria arte tentando trazer vida a esculturas para amenizar fantasmas de seu passado. Anti-social, vê sua vida mudar de rumo e entrar em processo de quase loucura quando decide aceitar o convite de um cineasta onde será o personagem principal de um filme sem roteiro, sem direção, e que depois se mostra em um novo fantasma em sua vida.
Vitório é vendedor de uma loja de ferramentas, é procurado por mulheres que gostam de serem amarradas na cama. Ao conhecer Lara, uma moça frágil e a coisa mais linda que já viu na vida, tenta repreender seus instintos em um relacionamento onde a destruição parece ser o combustível principal para uni-los e afastá-los.
Rique é um jovem playboy perdido na vida, que se encontra mais perdido quando seu tio, o homem que o sustenta, descobre que ele está dormindo com sua mulher, e decide mandá-lo para fora de casa. Em outra cidade, longe de tudo aquilo que conhece, se vê mais perdido que sempre e tenta se agarrar em Dante, um antigo amigo encontrado ao acaso na rua, para tentar encontrar algum caminho. Preso em sua futilidade de querer comprar tudo o que vê, segue em uma solidão melancólica.
Túlio é um escritor deprimido que mantém um relacionamento bonito com sua ex-esposa. Cercado de remédios, tenta melhorar de sua doença procurando algo na escrita, mas com receio de se entregar demais e afundar-se em seus próprios conflitos. Unido com a mãe de sua filha que já forma outra família, os dois se mantém unidos pela substancia ou sensação que um dia os separou.

Cachalote, primeira graphic novel do contista e romancista Daniel Galera, é um quadro negro de 6 histórias que não se cruzam, mas que não deixam de ter alguma coisa em comum, a vida. Desenhada em preto e branco por Rafael Coutinho, as histórias são apresentadas com um mistério, talvez todas com o mesmo mistério que não parece ter solução algum. As narrativas são desenhadas de maneira dramática, cortadas com um realismo fantástico. A vida é apresentada como um mistério sem solução, um vento que sopra mais forte trazendo uma intuição e não resposta, uma baleia gigante encontrada solitária em uma praia deserta sem uma resposta do quê significa ou de como e porque foi parar ali.


Cachalote – Daniel Galera e Rafael Coutinho
Editora: Companhia das Letras
280 páginas


























2 comentários:

Paola Benevides disse...

Genialíssimo, Carlos!!!

Isso e muito mais me animou a visitar teu blog outras tantas vezes. =D

Bom trocar figurinhas culturais contigo. Let's keep rockin'!

Carlos Alberto disse...

Keep Rockin´Paola, vamos nessa.